A memória Optane, disponível em formato SATA, PCIE e NVME, foi lançada inicialmente para o consumidor não profissional neste último formato em unidades pequenas com 16 e 32GB de capacidade, para serem usadas como unidades de armazenamento normais (com letra no windows, para swap file ou scratch disk) ou conjuntamente com o software Optane da Intel, transformando-as em unidades de cache entre o sistema operativo e o armazenamento.

Baseada numa tecnologia de armazenamento em estado sólido não volátil totalmente diferente da flash que aprendemos a adorar, o 3D XPoint, desenvolvido conjuntamente pela Intel e a Micron, armazena dados através da alteração de resistência de células empilhadas tridimensionalmente, como o nome indica. Isto é bastante diferente da flash, que requer transístores para aceder aos dados e que na sua versão 3D não é mais do que uma sucessão de chips individuais colocados uns sobre os outros e unidos por conectores de cobre que os atravessam.

Um Optane NVME pode ser instalado em qualquer slot M.2 e é reconhecido pela BIOS como uma unidade de armazenamento normal, apesar de algumas motherboards Intel possuirem slots dedicados para esta tecnologia, e outras terem slots com apenas duas pistas PCIE alocadas, o que vai afectar o desempenho. Nas plataformas Intel suportadas, o software Optane permite activar o modo de cache em que a unidade fica invisível, passando a localização dos dados a ser gerida em função da regularidade do acesso aos mesmos.

Como o modo cache requer uma utilização continuada de forma ao algoritmo identificar os dados mais utilizados, e os resultados variam significativamente em função desse padrão de utilização, testámos a unidade tal e qual como o sistema operativo a vê de origem. Usámos 4 softwares de benchmark de armazenamento gratuitas e actuais, que permitem a qualquer um testar o que tem em casa e tirar as suas próprias conclusões.

Para comparação temos um SSD NVME e uma unidade SATA Samsung, activando nesta última também o modo de cache em RAM, acessível a qualquer utilizador que esteja disposto a abrir mão de uma fatia da memória de sistema. Esta opção, oferecida por alguns fabricantes de SSD e partilhando algumas características com o recentemente disponibilizado AMD StoreMI, oferece números fabulosos ENQUANTO usa a RAM, revertendo então para o desempenho normal SATA.

blog-as-ssd blog-attodiskbenchmark

blog-parkdale

blog-crystaldiskmark

As principais vantagens das unidades Optane, nome comercial da Intel para a tecnologia 3D XPoint, prendem-se com uma latência muito baixa, permitindo mais operações por unidade de tempo, e uma resistência ao desgaste teoricamente mais elevada. Com capacidade demasiado reduzida para colocar qualquer coisa mais do que uma base de dados, algumas aplicações (ou jogos bem pequenos para 2018), é uma opção para quem pretende um scratch disk com muita capacidade de resposta e um custo muito inferior ao upgrade de memória.

About the author

Related

Comente este post!