Após o desapontamento que foram os produtos baseados em Windows 8 para arquitecturas ARM, conhecido por Windows RT, a Microsoft encontrou novo ímpeto na parceria com a Qualcomm, na forma dos SOC (System On Chip) Snapdragon 835, topo de gama até ao recentemente lançado 845 apresentado com a gama Samsung Galaxy S9.

Quando já muitos rumores indicam o interesse da Apple em trocar a arquitectura de processadores x86 dos seus Macbooks pelos seus próprios processadores baseados na arquitectura ARM, a Microsoft volta à carga com a ajuda do líder de mercado em soluções integradas para o mercado móvel. Afinal de contas, um Snapdragon 835 (MSM8998) possui uma enorme lista de aliciantes para uma solução de productividade e conectividade onde o processamento pesado não é uma prioridade:

  • 8 cores Kryo 280, metade com uma frequência de até 2,45 GHz (performance), metade até 1,9GHz (poupança)
  • GPU Adreno com suporte OpenCL, Vulkan e DirectX 12, aceleração video 4K60fps 10bit H264, H265 e VP9
  • Controlador de memória dual channel LPDDR4X a 1866 MHz
  • Modem 4G com até 1Gbps de download e 150Mbps de upload
  • Suporte WIFI 802.11ad e 802.11ac, Bluetooth 5, NFC e geolocalização por satélite multi-plataforma
  • Múltiplas acelerações nativas para processamento de imagem, som e segurança
  • Consumo até 5W, carregamento rápido de bateria e gestão avançada de autonomia

O Windows 10 para ARM possui algumas limitações em relação às versões que conhecemos para arquitecturas Intel e AMD, tais como não executar (para já?) aplicações x64, apesar dos Snapdragon 835 já suportarem endereçamento de 64 bits. Em aplicações x86 de 32 bit é também necessário executar uma recompilação em tempo real, mas o passo acelerado de desenvolvimento do mercado móvel já permite absorver esse impacto no desempenho sem demasiadas consequências para o utilizador. Por exemplo o próprio Microsoft Office continua a ser uma aplicação x86 e funciona em emulação, ao passo que o Edge é apresentado como aplicação nativa ARM.

A primeira oferta da HP para este mercado, lançada há algumas semanas com um custo de 999 dólares, encontra-se esgotada, o que demonstra uma expressiva procura para um portátil fino e leve com 22 horas de autonomia declarada em reprodução de video a partir de um ficheiro local. O conceito do netbook actualizado e polido?

Saiba mais pormenores sobre o novo HP Envy X2 aqui.

About the author

Related

Comente este post!